terça-feira, 27 de junho de 2017

Como manter a casa limpa e arrumada diariamente #5 - A rotina diária


Neste percurso para trazer boas energias à casa, um passo fundamental é destralhar. Depois disso, devemos organizar, de modo a que seja mais fácil manter a casa arrumada. Por último, ajuda bastante fazer um planeamento das tarefas domésticas.

Todos estes temas foram abordados em posts anteriores. Hoje vou falar da rotina diária.

Se fizermos um pouco todos os dias, é muito mais fácil manter as coisas sob controle. Viveremos num sítio que nos acalma a mente, ao invés de termos na casa uma fonte de stress. Ao fim do dia encontraremos um lugar acolhedor, onde os problemas podem ser deixados do lado de fora. Não teremos receio de visitas inesperadas, porque a casa estará limpa e arrumada diariamente. (Nota: claro que isto significa ter uma casa com vida, não uma casa perfeita com ar de museu).

Eis assim algumas sugestões para a rotina diária:

««»»

35. Levanta-te mais cedo - Acordar uma hora ou 30 minutos mais cedo, já ajuda a adiantar algumas tarefas. Podes por exemplo, limpar uma divisão ou adiantar o jantar. 

Claro que há pessoas mais matinais e outras mais nocturnas. As mais nocturnas podem optar por concentrar as tarefas quando chegam a casa e deitar-se mais tarde. No entanto, acordar cedo tem outra vantagem. Quando sais de casa com a casa organizada e já cumpriste algumas tarefas, o dia tende a correr melhor. O facto é que as manhãs influenciam o nosso humor, durante o resto do dia.

36. Deita-te mais cedo - Claro que se optares por te levantar mais cedo, convém deitares-te a horas decentes. 

Cria rotinas de sono para ti e para os teus filhos. Se se deitarem por volta da mesma hora diariamente, é mais fácil o corpo adaptar-se e sentir sono nessa altura.

37. Prepara o dia seguinte na noite anterior - De início pode parecer difícil, mas com o tempo, torna-se um hábito e farás tudo de forma mais rápida. Os preparativos podem envolver escolher a roupa e acessórios para o dia seguinte, preparar marmitas, programar a máquina de lavar roupa e/ou loiça para lavar durante a noite, etc.

O que acontece a seguir, é uma espécie de ciclo vicioso: se preparaste as coisas na noite anterior, terás uma manhã mais calma e tempo extra para adiantar tarefas. Em consequência, como já adiantaste tarefas pela manhã, terás os serões mais livres.  

Preparar o que se precisa na noite anterior,
permite adiantar tarefas pela manhã.

38. Inclui no teu «mapa de tarefas domésticas», o que tens de fazer diariamente - A ideia é incluíres uma espécie de checklist com as tarefas que tens mesmo de fazer todos os dias. Esta lista ajuda-nos a não esquecer do que necessitamos de fazer, para que a casa esteja em condições. Podes incluir coisas como: fazer as camas, preparar o jantar, deitar o lixo fora, etc. (Para saberes como fazer um «mapa de tarefas domésticas, espreita o post anterior).

39. Faz as camas logo pela manhã - Puxa as mantas para trás assim que te levantas. Depois vai fazer qualquer coisa (tomar duche ou comer alguma coisa, por ex.), para que a cama fique a arejar. De seguida, faz a cama.

Se saíres com a cama feita, a casa fica logo com um ar mais arrumado e só gastas uns 5 minutos.

40. Começa cedo, os preparativos para o jantar - Podes adiantar refeições ao fim-de-semana e congelar. Pessoalmente não aprecio fazer isto, opto por fazer o máximo todos os dias, ainda antes de todos acordarem. Faço a sopa. Para o segundo prato, posso deixar todos os ingredientes cortados, no frio, e depois é só misturá-los. Posso também fazer a salada, que irei temperar só na hora da refeição. 

Depende do tipo de refeição, mas há sempre qualquer coisa que podes adiantar.

Ir adiantando o jantar logo cedo,
trará mais disponibilidade ao serão.

41. Antes de saíres, deixa a casa minimamente organizada - Percorre as divisões da casa, uma a uma, e arruma o que estiver fora do lugar. 

É muito mais relaxante quando regressares a casa, encontrares tudo arrumado e com ar acolhedor.

42. Nas tarefas domésticas, recorre ao multitasking - Enquanto cozinhas, podes ir colocando a loiça na máquina e pondo a mesa. Enquanto esperas que um produto de limpeza actue, podes ir organizar uma gaveta. Enquanto arrumas as compras, podes aproveitar para arrumar/limpar o frigorífico ou verificar a validade dos produtos que tens na despensa. Há imensas possibilidades. 

A ideia é ires adiantando serviço, para te sobrar tempo para relaxar.

43. Define altura(s) no dia, para recolheres os objectos que estão fora do lugar - Bom seria após usar, guardar de imediato. Mas, principalmente quem tem crianças, sabe que há objectos que acabam espalhados pela casa. Sugiro assim que dês uma volta pela casa, divisão a divisão, para arrumares tudo o que está fora do sítio e te desfaças do que é tralha.

Para que isto seja mais eficaz, define diariamente as alturas em que o deves fazer. No meu caso, é após ter feito as camas e 15 minutos antes do jantar. O ideal seria envolveres outros elementos da família nesta actividade (para os motivar a arrumar logo após usar, pois dá menos trabalho).

É muito importante que isto seja feito diariamente! Se deixares acumular, corres o risco de, quando chegar a altura de limpar, perderes mais tempo a arrumar do que com a limpeza propriamente dita.

Arrumar o que está fora do sítio num momento específico do dia,
previne a acumulação e facilita as limpezas.

44. Limpa o fogão sempre que o usares -
É muito mais fácil limpar na hora, do que deixar acumular sujidade. Com o uso das altas temperaturas, a sujidade do fogão seca e torna-se muito mais difícil de limpar. Por isso, limpa na hora.

45. Arruma a cozinha antes de ires dormir - Tenta sempre fazer o seguinte: levantar a mesa, lavar a loiça ou pô-la na máquina para lavar durante a noite, passar um pano nas bancadas e outro no fogão ou forno (o que tiver sido utilizado) e limpar o chão. 

Eu sei, às vezes estamos tão cansados/as que não apetece nada... Mas se o fizermos, no dia seguinte é muito menos stressante acordar e saber que não termos de perder tempo nessas tarefas.

46. Separa os talheres por categorias dentro da máquina de lavar - Para facilitar esta tarefa, se puderes optar na altura da compra, escolhe uma máquina de lavar com prateleira para talheres (se bem que a organização por categorias, também é possível com cesto de talheres). A ideia é ires colocando na máquina colheres de sopa junto de colheres de sopa, garfos, junto de garfos, etc. Quando chegar a altura de os retirar da máquina, a arrumação será muito mais rápida.

Separar os objectos por categoria na máquina de lavar loiça,
facilita a sua posterior arrumação.

47 - Abrevia as tuas tarefas - Antes de realizares determinada tarefa, pensa em como poderás fazê-la perdendo menos tempo. Eis alguns exemplos: deixa o produto de limpeza actuar alguns minutos, para ser mais fácil retirar a sujidade; deixa a louça a secar no escorredor ao invés de limpares peça a peça; limpa só o que estiver sujo; opta por roupa fácil de passar a ferro, etc.

48 - Se a casa estava arrumada, deixa as coisas como as encontraste - Se todos os moradores de uma casa, cumprissem esta regra, a casa daria muito, mas muito menos trabalho. Para isto ser possível depois de usar, devemos de ir logo arrumar. Assim como quando sujamos, devemos limpar de imediato.

49 - Arruma e limpa diariamente - Estas tarefas devem mesmo de ser diárias. Por mais organizados que sejamos, há sempre algo que sujamos, há papéis que chegam pelo correio, há crianças que têm de ser crianças e acabam por desarrumar. Isto é ter uma casa com vida! Mas tal como sujamos e desarrumamos, é importante também arrumar, limpar e evitar a todo custo acumular (objectos e sujeira). 

Bastam algumas tarefas por dia, para que a tua casa se mantenha acolhedora... e se transforme naquele lugar, onde podes ser feliz.

Fazer um pouco todos os dias,
ajuda a transformar a casa num refúgio acolhedor.

No próximo post desta série falarei das «compras semanais». Do que pode ser feito nesta área, para contribuir para uma casa limpa e arrumada.

Fotos: 1.ª e 3.ª Alvhem; 2.ª StockSnap; 4.ª Interior Design and Decoration; 5.ª Mafalda S.; 6.ª Per Jansson
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Pensamento/Lema da semana #351


"As crianças aprendem muito mais a partir das nossas acções 
do que daquilo que lhes dizemos". 
Harlan Coben

Foto: Bessi
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Pensamento/Lema da semana #350


"O que gera felicidade não é a quantidade de coisas que temos, 
mas o modo como desfrutamos da vida." 
Charles Spurgeon

Foto: Liu Hong Hezhengshi
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

sexta-feira, 16 de junho de 2017

Metáfora: "Encontro com São Pedro"

Hoje vou contar-te uma metáfora. Traduz o que se passa muitas vezes, neste mundo corrido. 

Agora peço-te. Abranda e reflecte um pouco sobre este texto:

"Um homem morreu e foi para o Céu. Às portas do Paraíso encontrou-se com São Pedro, que lhe deu as boas-vindas e lhe perguntou o quão desfrutara do tempo que passara na Terra. 

- Foi bom - respondeu o homem - mas, de certa forma, a vida acabou por não ser tão boa quanto tinha pensado que seria. 

- A sério? - indagou São Pedro. - Então porquê? Tinhas uma família que te amava, um emprego em que eras bom, uma boa casa e podias tirar férias todos os anos. Parece ser o tipo de vida com que a maior parte das pessoas seria perfeitamente feliz. 

- Mas foi exactamente por isso - retorquiu o homem. - Eu não era feliz. Tinha todas as características do sucesso e esforcei-me para ser uma boa pessoa, mas nada disso me fez realmente feliz e não sei porquê. A sério que não podia ter tentado mais. 

- Então esforçaste-te sempre para seres feliz? - perguntou São Pedro. 

- Sempre  - respondeu o homem. Mas nunca pareceu resultar. Lutei durante toda a minha vida para ser feliz e empenhava-me com todas as forças em tudo o que fazia. Esforcei-me tanto que nem tinha tempo para fazer as coisas que queria fazer.

- Que tipo de coisas? - perguntou São Pedro.

- Oh, só ter tempo para brincar mais com os meus filhos, ir passear nos dias soalheiros, tentar dedicar-me à pintura ou olaria ou escultura. Na verdade eram só coisitas parvas, por isso dediquei a minha energia às coisas importantes, como o trabalho e ser presidente de vários comités que valiam a pena.

- Mas aí é que está o problema - respondeu o santo, amavelmente. - Andavas tão ocupado a tentar concretizar as coisas importantes que achavas que te dariam felicidade que deixaste escapar por completo todas as pequenas coisas que realmente te fariam feliz. Se tivesses parado, descontraído e permitido que a felicidade te encontrasse, terias sido feliz, mas estavas sempre tão ocupado que a felicidade nunca conseguiu acompanhar-te." 


Em suma, 
é importante dedicarmos tempo às nossa obrigações,
lutando para ter o necessário para as nossas necessidades e da nossa família.
Mas no caminho da vida,
não devemos descurar de quem está ao nosso lado,
devemos dedicar-lhes tempo e atenção.
Também às coisas simples da vida,
aquelas que nos fazem felizes,
devemos dedicar tempo da nossa agenda.
Só assim a vida valerá a pena,
e aí, teremos chances de ser felizes.

Fonte da metáfora: AVERY, Matt; "50 Segredos das Pessoas Felizes"; Editora Self; Carcavelos; Janeiro de 2016.
Foto: Gewa
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:
Facebook || Instagram

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Actividades "hygge" que faço com a minha filha


Há algum tempo que queria escrever sobre actividades, que faço actualmente com a minha filha. Já escrevi um post do género há uns anitos, mas entretanto algumas coisas mudaram. A princesa transformou-se numa linda menina e já tem 9 anos (como é possível o tempo passar tão rápido?...). O irmãozinho nasceu. Há muita coisa que fazemos a 4. Algumas actividades deixaram de fazer sentido, outras vieram em seu lugar. Mas o que importa é que continuamos cúmplices como sempre. Para lá dos legos, do jogo da bola, dos passeios com o irmão, ainda partilhamos muita coisa juntas.

Devo dizer que a filosofia hygge nos tem influenciado bastante. São momentos destes que trazem felicidade ao nosso dia-a-dia. hygge tem que ver com o apreciar das coisas simples: acender velas, beber uma caneca de chocolate quente, estar no quentinho enquanto uma tempestade cai lá fora, sentarmo-nos num recanto acolhedor a ler um bom livro... 

Partilho contigo o que costumamos fazer. Quem sabe se poderá servir de inspiração...

««»»


1 -  Jogos de tabuleiro

O nosso mais recente vício é o Cluedo. Mas também entram aqui o Monopoly, o Trivial Pursuit, as cartas...

Normalmente criamos a atmosfera ideal (o que inclui velas e o desligar de aparelhos electrónicos). Depois... é só desfrutar.
2 - Caça ao tesouro com enigmas

Desde bem pequenina que a Letícia gosta de caças ao tesouro. Posso dizer que é uma das suas actividades favoritas (principalmente na Páscoa, em que já se transformou numa tradição familiar).

Mas para manter o interesse, agora as pistas são enigmas. As soluções ou têm a ver com algo que ela aprendeu na escola ou ensinam-lhe algo de novo. Mas é sempre interessante!


3 - Passeios na Natureza

Esta actividade é normalmente realizada a quatro.

Escolhemos um lugar especial, para dar um passeio na Natureza. Pode ser num parque da cidade, num jardim ou até na floresta. O que interessa é respirar ar puro, observar os animais, sentir a beleza das flores, observar os detalhes das paisagens.

Podemo-nos sujar um pouco 😉, mas é super-relaxante!


4 - Jogo das coisas belas

Esta actividade fazemos normalmente na ida ou vinda da escola, ou após o jantar.

A ideia é dar uma volta de carro (ideal para dias mais frescos) e ir assinalando à vez, detalhes bonitos da paisagem.

Assim saboreamos mais a viagem e ela aprende a apreciar a beleza à sua volta. Está aliás comprovado que o «saborear» permite, de forma rápida, aumentar o optimismo e reduzir o stress e as emoções negativas.


5 - Culinária afectiva

Aqui o prazer não está só no degustar. O divertimento começa logo com os preparativos (o pôr dos aventais, o buscar dos ingredientes...) e continua com a confecção (a preparação da receita, a decoração...).

Tudo isto envolvido com muita conversa e risadas. Por vezes, com música de fundo.





6 - Refeições especiais

Não é tão difícil tornar as refeições especiais. Uma mesa decorada com amor, um empratamento bonito, comfort food, umas velas acesas...

Em algumas alturas do ano, dependendo do horário, também fazemos refeições ao nascer ou pôr-do-sol. É mágico!





7 - Destralhar e organizar

Para nós isto não é uma tarefa, é algo com que nos divertimos imenso.

O que estava feio, fica bonito. O que não interessa vai embora. Fica o que traz alegria. Pesquisamos ideias na Net, destralhamos e tentamos aplicar as ideias na prática. No fim, sabe sempre bem espreitar o resultado... várias vezes! 😂


8 - Projectos DIY

Esta é outra das actividades que mais agradam à minha filha.

Pesquisamos ideias na Net, mas por vezes, basta-nos a imaginação. E criamos de tudo um pouco: agendas, objectos decorativos, organizadores...

Presentemente já temos projectos em mente para as férias. Queremos redecorar algumas áreas do quarto dela. Depois partilhamos.


9 - Livro da família

Em tempos sugeri como actividade para  a felicidade, a criação de um «livro da família». A ideia é escolhermos um livro bonito, e nele registarmos coisas giras sobre a família: a árvore genealógica, os episódios e curiosidades da história da família (aquele tio famoso, como o avô João conheceu a avó...), as receitas de culinária tradicionais, os factos importantes, o porquê de se chamarem assim, etc. Podemos ilustrá-lo com fotografias ou outras coisas interessantes.

Comprámos este livro artesanal em Sintra. Achámos que era perfeito para a função. Em tempos também fiz um post sobre o que descobrimos na investigação das nossas raízes familiares.  

Devo dizer que é uma actividade muito, muito gira!

10 - Sessão de cinema

Por vezes vamos ao cinema. Outras vezes, assistimos ao filme em casa.

Tem é de envolver uma sala escurecida e muitas pipocas. Em casa ainda temos um extra: uma manta quentinha nas noites de Inverno. Nada mais hygge!






11 - Spa caseiro 

Aqui está uma actividade que nos acalma, do stress do dia-a-dia. Até o mais pequenino já gosta!

Preparamos o ambiente. Uma música calma ou sons da Natureza, especialmente do mar. Uma loção hidratante. Umas velas (atenção que quando se usam velas temos de arejar a divisão, para não ser prejudicial).

Depois marcamos no despertador cerca de 10 minutos. Cada um espalha loção hidratante nas costas do outro e faz-lhe uma massagem. Depois trocamos e quem recebeu massagem nas costas é quem agora faz - durante mais 10 minutos.

É super, super relaxante!

12 - Meditar ou praticar visualização criativa

Preparamos novamente uma atmosfera relaxante.

Quando o objectivo é meditar, pego no livro da foto, o "52 meditações para crianças" da Susana Guerreiro e escolho uma das meditações propostas.

Já na visualização criativa, fechamos os olhos e vamos descrevendo imagens e as sensações de coisas boas, com o máximo detalhe. Descrevemos experiências positivas que vivemos (o que aconteceu de bom, como nos sentíamos), lugares lindos por onde passámos (incluindo os cheiros, os sons, as imagens), passeios que desejamos fazer, sonhos que queremos alcançar, etc. 

13 - Ler embrulhadas numa mantinha ou na cama

Já não lhe conto histórias. Agora lemos lado a lado. Sempre antes de dormir, quando o pequenino já dorme e o pai se entretém com o seu hobby.

Por vezes vamos para o nosso futuro hyggekrog (um lugar acolhedor, onde temos uns cadeirões confortáveis, umas mantinhas e a melhor vista da casa). Mas, por norma, lemos na caminha dela.

É super calmante, antes de dormir.


14 - Demonstrar gratidão

Antes de deitar, cada uma de nós fala de três coisas boas que nos aconteceram, pelas quais nos sentimos gratas. É uma boa forma de fortalecermos o sentimento de gratidão.

Antes já o fazíamos, mas alterámos um pouco as «regras». Já não o fazemos todos os dias, porque acabávamos por nos habituar e não fazia o efeito desejado (trazer mais felicidade à nossa vida). Assim, fazêmo-lo... quando nos apetece. Também já não falamos só do que aconteceu naquele dia específico. Se nos apetece recordar as últimas férias... Porque não?

É algo muito hygge. Traz-nos emoções positivas, mesmo antes de dormir.


Podes estar a perguntar-te: mas como terei tempo para estas actividades?

Depende da actividade. No nosso caso, algumas realizamos no caminho da escola, outras ao fim-de-semana, nas férias ou quando o Luquinhas dorme. Algumas envolvem a família toda ao serão (em vez de assistirmos TV ou de navegarmos na Net, optamos por estas actividades), outras são partilhadas só entre mim e a Letícia, quando estamos sozinhas (o pequenino já dorme e o pai está no seu hobby).

Não é tão difícil quanto parece. Por vezes é mesmo uma questão de escolhas. E os miúdos acabam por se divertir bastante (vá, e nós também).

Fotos: 1.ª Jill111; restantes - Mafalda S.
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:
Facebook || Instagram

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Pensamento/Lema da semana #349


"Felicidade começa quando tomamos a decisão de sermos felizes.
Este é o primeiro passo que devemos dar
para podermos desenhar com sabedoria
o nosso próprio caminho."
Frei  Pedro Cesário Palma

Foto: Katerina Knizakova
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Tulip, um bloco de notas ao estilo hygge


Sentada numa cadeira de madeira, à luz do pôr-do-sol. Ao lado, uma bebida quente - sabor a café, com um toque de caramelo. Uma brisa amena tocava-me o rosto, enquanto abria aquele pacote bonito... 

Lá dentro estava o bloco de notas Tulip, enviado pela Filipa. Feito por ela. Com muito amor e bem ao estilo hygge. Tenho de dizer que adorei! É um bloco que realmente nos inspira a parar e a reparar nas coisas simples da vida. É hygge sem dúvida alguma.


O bloco está dividido em 4 partes essenciais:
  • To do list - para não nos esquecermos das tarefas importantes;
  • Free Writing - para escrevermos o que nos vai no pensamento;
  • Special Words - para registarmos as coisas que nos fazem sorrir, sonhar, ser felizes...;
  • Quotes - um conjunto de frases simples e inspiradoras, para animarem os nossos dias.


Tem imensas folhas em branco para escrevermos o que nos vai na alma. Aquilo que o bloco pode trazer de positivo, segundo a Filipa, é o simples facto de permitir às pessoas "abrandarem o ritmo frenético do dia-a-dia para registarem o que realmente lhes traz felicidade e assim darem importância às coisas simples da vida que muitas vezes passam despercebidas porque andamos sempre a correr. Ao escrevermos os momentos que nos trazem felicidade, os nossos sonhos, o que motiva os nossos sorrisos é uma forma de tornar o nosso dia mais feliz".


E a verdade é que por vezes precisamos de uma ajudinha. Este livrinho, faz-nos lembrar que devemos dar valor ao que temos por garantido.  Que temos tanta coisa boa à nossa volta, pelas quais nos podemos sentir gratos.


Algo que me também me agradou é o facto de ser muito prático de usar. Com tamanho A6, são perfeitos para nos acompanharem em qualquer lugar, pois cabem facilmente nas nossas bolsas.


Perguntei à Filipa de onde surgiu a inspiração para criar o bloco de notas (sim, eu gosto de saber a história por detrás das coisas).

Ela contou-me então o seguinte: "Tudo começou quando eu ofereci à minha cunhada 'O Livro do Hygge - O segredo dinamarquês para ser feliz' [eu própria já falei desse livro aqui]. Ela estava numa fase em que precisava de um miminho e pareceu-me oportuno oferecer-lhe este livro. Depois comecei a pensar: porque não fazer um bloco para que ela possa registar os momentos que a fazem feliz de modo a que, quando estiver triste, consiga recordar aquilo que realmente importa? E assim foi. Fiz-lhe o bloco e ela adorou e disse porque não fazes o mesmo para outras pessoas? Eu pensei: se consegui fazer alguém feliz, porque não tentar o mesmo com os outros?".


E assim surgiu este bloco lindíssimo...


... cheio de imagens e palavras inspiradoras.


Para mais informações, ou se quiseres encomendar o teu próprio bloco Tulip, contacta a Filipa pelo seguinte e-mail: tulip@outlook.pt

Quanto a mim, resta-me agradecer: "Obrigada Filipa! Adorei o teu trabalho!".

Voltando àquele dia. Enquanto saboreava a bebida de café e caramelo, escrevi as minhas primeiras palavras no bloco Tulip. Falavam de gratidão e creio que do pôr-do-sol.

Fotos: Mafalda S.
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

terça-feira, 6 de junho de 2017

Como manter a casa limpa e arrumada diariamente #4 - Planear as tarefas domésticas


Hoje vou falar-te de um dos principais segredos para manter a casa limpa e arrumada: o planeamento.

Planear significa distribuir tudo o que temos para fazer, pelo tempo que temos disponível. Significa definir prioridades, criar rotinas. Facilita-nos a vida, para termos tempo para o mais importante. Ajuda-nos a criar o refúgio caseiro, com que sempre sonhámos.

Eis algumas sugestões, para planeares as tuas tarefas domésticas:

««»»

Uma «agenda doméstica» pode ser utilizada para planear limpezas,
destralhes, ementas, etc.
29. Tem uma agenda doméstica - ter agenda não é fundamental, mas ajuda bastante. As nossas ideias tornam-se mais claras quando as transferimos para o papel. Quando escrevemos podemos perceber coisas como: se conseguiremos realizar tudo a que nos propomos, no tempo que temos disponível, ou se é necessário definir prioridades e excluir algumas actividades.

No meu caso, utilizo a agenda para planear as limpezas, os destralhes, as ementas, etc. (podes espreitar o interior da minha agenda aqui).


30. Lista todas as tarefas que tens de fazer - inclui na tua lista todas as tarefas domésticas que te lembres e a frequência com que tens de realizá-las. Há coisas que necessitamos de fazer diariamente (ex. fazer camas, arrumar cozinha), outras semanalmente (ex. limpar os quartos), outras mensalmente (ex. limpar vidros) e outras algumas vezes por ano (ex. limpeza da Primavera).

Se não tiveres tempo para tudo, terás de definir prioridades e rever coisas como a frequência com que realizas algumas tarefas (ex. podes não ter tempo para lavar os vidros todas as semanas, pelo que podes optar por fazê-lo 1 vez por mês). Pode não ser o que desejarias, mas é o possível...

31. Planeia com um mapa de organização de tarefas - isto sim, é IMPRESCINDÍVEL, para te ajudar a cumprir tudo a que te propões. Distribui as tarefas que listaste anteriormente, por um mapa semanal ou mensal (conforme preferires - o meu é semanal).

Este mapa será o teu plano de limpezas (ou de tarefas domésticas, se incluíres outras actividades). A ideia é fazeres um pouco cada dia, para ficares com o fim-de-semana ou dias de folga mais disponíveis.

No meu próprio plano, incluo tarefas além da limpeza, como as compras ou tarefas relacionadas com o blog. Mas também incluo tempo para passar em família. Por vezes, quando não definimos esse tempo, acabamos por estar continuamente a realizar tarefas - afinal, estas estão sempre a surgir. Há pois que impor limites, para termos tempo para quem mais amamos.

O plano é uma coisa muito pessoal, deve ser adaptada à realidade de cada um. Este é o meu (clica na imagem, para veres melhor):

A distribuição de tarefas por um mapa semanal ou mensal,
é IMPRESCINDÍVEL, para cumprir tudo a que nos propomos.

Notas adicionais sobre o meu plano
:
  • Não inclui algumas tarefas por não terem a ver com tarefas domésticas (ex. levar a filha à escola) ou por serem demasiado específicas (ex. na «preparação da refeição do dia», já incluo a preparação da lancheira da minha filha); 
  • Não incluo tarefas que são realizadas por outras pessoas (ex. o lixo é deitado fora diariamente, mas é o meu marido que o faz); 
  • Quando não defino horário específico, significa que uma actividade é realizada algures no período assinalado (ex. «fazer camas e anti-tralha», ocorre algures durante a manhã. A anti-tralha é antes dos miúdos acordarem e o fazer das camas é depois); 
  • Só limpo se estiver sujo (ex.: se o chão da sala não estiver sujo, onde se refere «limpar o chão», não incluo esta divisão. O único chão que costumo limpar diariamente é o da cozinha); 
  • Ao Domingo não preparo refeição porque costumamos almoçar fora e ao jantar fazemos um lanchinho ou comemos sobras do dia anterior;
  • Onde menciono «limpezas» na 6.ª Feira, significa uma limpeza mais profunda (ou faxina) de uma área específica (ex. na cozinha, todos os dias arrumo e limpo algo que esteja sujo [bancadas, fogão, lava-loiça...]. Mas limpar coisas tipo azulejos, janelas ou o interior dos móveis (quando necessário), só o faço na semana da limpeza mais profunda;
  • Nem sempre consigo concentrar a lavagem de roupa ao fim-de-semana (quando fica mais barato lavar). Quando a quantidade para lavar é muita, programo para lavar à noite durante a semana;
  • A limpeza «geral» referida à 6.ª feira, na 6.ª semana, implica fazer uma limpeza mais profunda a alguma área ou objecto (ex. pode consistir na limpeza profunda do congelador, no tratamento das flores da varanda, na lavagem de todos os estores da casa, etc.). 

32. Tenta executar sempre as «tarefas do dia» - a melhor forma de manteres a organização é executar hoje as tarefas do dia de hoje.

Claro que há situações em que isso é impossível. Por exemplo na semana passada, estive doente, e não consegui realizar uma data de tarefas. Mas isso foi uma excepção, tento sempre cumprir o plano.

A verdade é que se dedicarmos um pouco do nosso tempo diário a estas tarefas, evitamos a acumulação de tralha/sujidade, etc. Fica mais fácil limpar e arrumar.

33. Assinala as tarefas concluídas - ok, isto também não é obrigatório. Contudo, dá imensa satisfação constatares que consegues alcançar as tuas metas.

Resultado: reduzes a ansiedade e ainda ganhas motivação para cumprir as tarefas.

Um mapa para registar as tarefas concluídas,
ajuda a reduzir a ansiedade e dá motivação para cumprir tarefas.

34. Cria a rotina para criares o hábito - agora a melhor parte: se executares estas tarefas domésticas seguindo sempre a rotina planeada, elas irão transformar-se um hábito. Isto significa que com o tempo (os especialistas dizem mais ou menos, ao fim de 21 dias), conseguirás realizar estas tarefas de forma mais automática e com menos esforço.

««»»

Vais ver que o planeamento fará uma enorme diferença na tua vida. E o passo seguinte tem a ver com «a rotina diária». Mas isso fica para o próximo post.

Espero que continues por cá!

Fotos: 1.ª HusmanHagberg; 2.ª e 3.ª Mafalda S.
Figura: Mafalda S.
.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Pensamento/Lema da semana #348


"O conflito não é entre o bem e o mal,
mas entre o conhecimento e a ignorância."
Buda

.............................................................
"A Felicidade é o Caminho" também está aqui:
Related Posts with Thumbnails